"...para com Deus não há acepção de pessoas." (Rm 2:11) - "Deus não faz acepção de pessoas." (At 10:34)
EDUCADOR E PALESTRANTE
Na luta por uma educação inclusiva de alunos com transtorno mental.
Textos
A senhora ao lado
     Foi apenas um sorriso, nada mais. Despedida simples, sem lenço branco, sem palavras. Parti.
     A estrada corria sob as rodas do ônibus. As árvores iam ficando para trás, fazendas e tudo mais. Viajava de pé, pois os lugares estavam todos ocupados. Era cansativo, mas tinha que ser assim, não havia outro jeito.
     Meus olhos rondavam todo o ônibus e observavam tudo, até mesmo aquela velhinha lá atrás. Eu ia na frente. E foi então que vi uma linda jovem, loira, vem trajada, ao meu lado. Ela me sorriu. Não foi como aquele da despedida, diferente. Um sorriso encantador. E esse sorriso me deixou desconcertado, tamanha era a nossa proximidade. Mudei de posição para disfarçar, mas voltamos a encontrar nossos olhares, e então...
     - O senhor também vai para Brasília?
     Não gostei do "senhor" mas respondi.
     - Vou... é de lá ou vai a passeio, como eu?
     - Moro em Brasília.
     Silêncio. Outro sorriso.
     - Como se chama?
     - Carla... Carla Gonçalves. E o senhor?
     - Por favor, não me chame de senhor. Põe-me muito velho...
     - Não disse seu nome.
     A garota divertia-se.
     - É meio comprido... Sou Humberto Cândido da Silva Júnior.
     - Acho que conheço seu pai.
     Complicou. Dera o nome de um amigo, cujo pai era industrial. Já havia dito, o que fazer: continuar com a farsa.
     Uma senhora que ia ao lado da jovem já estava de cara fechada e fazia-se neutra ao assunto. Continuei.
     - Sabe que é bastante bonita? Seus olhos são lindos, assim brilhantes.
     - Obrigada... Você é muito gentil.
     Fiquei olhando a paisagem e pensando o que ia falar. Infelizmente falei:
     - Está viajando sozinha?
     Dei uma boa olhada na senhora e esperei uma boa resposta.
     - Não... Esta é minha mãe.
     E foi só. Calei-me e voltei a mudar de posição.

(Extraído do livro "Um prato de
comida" - 1979)
Maurício Apolinário
Enviado por Maurício Apolinário em 03/07/2007
Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
"Discriminação e exclusão velada de alunos com transtornos mentais não podem existir em nossas escolas." (Prof. Maurício Apolinário)
.A Arte da Guerra para Professores - 1ª ed. Maurício Apolinário
.Bolinha, meu coelho Maurício Apolinário
.Limites na sala de aula: emoções, atitudes e... Maurício Apolinário
.Simplesmente namorada Maurício Apolinário
.Um prato de comida Maurício Apolinário
A Casinha de Clarinha Onã Silva
A derrota de Penina Onã Silva
A Literatura das Mulheres da Floresta Autores diversos
A Quadradinha de Gude Onã Silva
A quadradinha de gude - 2ª ed. ampliada Onã Silva
Anjinho minho... mãezinha minha ONÃ SILVA
Bote fé no sindicado, ele tem atitude é fato ... ONÃ SILVA
Cordel do trabalhador - do labor ao burnô Onã Silva
Cronistas, Contistas e Poetas Contemporâneos ... Autores diversos
Cuidar e rimar é só começar Onã Silva
Enfermagem com poesia: a arte sensível do cui... Autores diversos
Enfermagem, simbora! Vamos lutar pelas 30 hor... ONÃ SILVA
Estomaterapia: cuidado à fina flor da poesia Onã Silva
Federação Nacional põe o bloco da enfermagem ... ONÃ SILVA
Grandes Enfermeiras - Quadrinhos Onã Silva
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
https://www.facebook.com/pages/Cuidarte-Livros-e-artigos-liter%C3%A1rios/334396023412336?ref=hl