"Deus não faz acepção de pessoas." (At 10:34)
EDUCADOR E PALESTRANTE
Na luta por uma educação inclusiva de alunos com transtorno do espectro autista.
Textos
O estabelecimento de limites na sala de aula
A falta de limites por parte de crianças e adolescentes é assunto comum tanto na família quanto na escola. Crianças e adolescentes têm dificuldades em aceitar limites; as crianças, porque não sabem ouvir um não, e os adolescentes porque resistem a toda e qualquer representação de autoridade. As coisas complicam quando essa falta de limites extrapola os espaços da família e da escola, permeando toda a sociedade.

Limites são ensinados principalmente no seio familiar, aprendidos e colocados em prática por meio da internalização de princípios e valores morais. Respeito e responsabilidade são a base de todos eles. Respeito, nesse sentido, nada tem a ver com medo, temor, mas com consideração, atenção, estima, honra. Responsabilidade é a capacidade de assumir e cumprir seus deveres.

Limites são subjetivos, e estão diretamente relacionados às atitudes, ou seja, ao modo de agir das pessoas. A falta de limites faz com que um indivíduo ultrapasse as raias do desrespeito e adote um comportamento socialmente inaceitável. Nada é gratuito, e a falta de limites traz consequências sérias para o indivíduo e para a sociedade. A ideia de que cada pessoa é dona de seu próprio nariz e tem o direito de fazer o que bem entende, como pregam alguns, é totalmente errônea e nociva à edificação da sociedade. É por isso que o estabelecimento de limites para crianças e adolescentes deve ter início no seio familiar e prosseguir com o apoio da escola. E tanto em uma quanto na outra, somente saberá ensinar e estabelecer limites quem os conhece e os pratica. Limites não devem ser impostos.

A escola é o braço direito da família no estabelecimento de limites. Por isso é extremamente importante aprender a aplicar o conhecimento adquirido na escola à experiência diária do aluno. Os conteúdos aprendidos não são apenas para o intelecto, mas para a vida prática. E a prática de vida começa na escola pelo estabelecimento de limites. A maneira de o professor lidar com a indisciplina na sala de aula depende do tipo de pessoa que ele é, de como trabalha suas emoções e de como controla suas atitudes. A mesma turma indisciplinada pode ser vista de maneira diferente por professores diferentes. O estabelecimento de limites segue o mesmo princípio. A forma de os limites serem estabelecidos vai depender totalmente do professor que os estabelece.

A sala de aula não é um lugar de silêncio fúnebre nem um lugar para algazarras. O estabelecimento de limites deve acontecer para que os alunos possam vivenciar de modo prático o que na sociedade será fundamental para sua edificação em justiça, solidariedade e pacificidade.
-----------------------------------
Leia mais sobre o assunto no livro "Limites na sala de aula: emoções, atitudes e ações", do autor (WAK Editora).
Maurício Apolinário
Enviado por Maurício Apolinário em 09/02/2012
Alterado em 20/04/2012
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
"Discriminação e exclusão velada de alunos com transtornos mentais não podem existir em nossas escolas." (Prof. Maurício Apolinário)
..Simplesmente namorada Maurício Apolinário R$ 12,90
.A Arte da Guerra para Professores - 1ª ed. Maurício Apolinário R$ 15,90
.Bolinha, meu coelho Maurício Apolinário R$ 15,00
.Limites na sala de aula: emoções, atitudes e... Maurício Apolinário R$ 17,90
.Um prato de comida Maurício Apolinário R$ 15,00
A Casinha de Clarinha Onã Silva R$ 21,00
A derrota de Penina Onã Silva R$ 31,50
A Literatura das Mulheres da Floresta Autores diversos R$ 30,00
A Quadradinha de Gude Onã Silva R$ 10,90
A quadradinha de gude - 2ª ed. ampliada Onã Silva R$ 27,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
https://www.facebook.com/pages/Cuidarte-Livros-e-artigos-liter%C3%A1rios/334396023412336?ref=hl